Destaques

Moradores de aldeia em Évora poupam 300 euros por ano em energia com projeto-piloto

Vinte e cinco moradoras da localidade de Valverde, no Alentejo, beneficiaram de uma redução de 300 euros em um ano nas suas faturas energéticas depois de uma inicitiava da EDP, com o apoio da União Europeia, ter testado nas suas casas novas tecnologias de gestão e armazenamento de energia.

Um projeto-piloto europeu de demonstração de tecnologias de armazenamento e gestão de energia, em que Portugal participa, permitiu a 25 moradores da aldeia de Valverde, no Alentejo, pouparem, em média, 300 euros anuais na fatura energética.

Esta foi uma das conclusões do projeto-piloto "SENSIBLE" apresentadas esta segunda-feira pela EDP, um dos parceiros portugueses da iniciativa europeia, numa cerimónia realizada em Valverde, povoação rural a poucos quilómetros da cidade de Évora. Iniciado em 2015 e previsto terminar no final deste ano, o projeto, de 15 milhões de euros, com financiamento do Programa Horizonte 2020 da Comissão Europeia, integra 14 parceiros de seis países europeus, com três locais de demonstração: Valverde (Portugal), Nottingham (Reino Unido) e Nuremberga (Alemanha).

"O concelho de Évora foi pioneiro na implementação das redes inteligentes" de energia, tendo a aldeia de Valverde sido "escolhida porque possui esta infraestrutura" necessária para a fase de demonstração do "SENSIBLE", explicou à agência Lusa João Maciel, responsável de Investigação e Desenvolvimento (I&D) da EDP. A iniciativa, de acordo com a EDP, serve para testar tecnologias de gestão e armazenamento de energia, ao nível da baixa e da média tensão, que "permitam uma gestão otimizada" da rede "em cenários de forte penetração de produção renovável".

O objetivo, acrescentou a empresa, é "demonstrar o benefício da integração de sistemas de baterias na rede de distribuição e das soluções de autoconsumo a nível residencial", comprovando também "como a flexibilidade pode beneficiar o operador da rede e o consumidor, através de novos modelos de negócio e mecanismos de mercado". Em Valverde, dos 250 clientes residenciais, foram escolhidos 25 moradores para a fase de demonstração, cujas casas foram equipadas com sistemas de microgeração fotovoltaica, sistemas de gestão de energia, baterias e também termoacumuladores inteligentes, para a produção de energia e gestão de sistemas de consumos de eletricidade.

"Na rede de distribuição, dotada de equipamento de redes inteligentes de última geração, foram também instalados sistemas de armazenamento e um sistema de automação avançada", acrescentou a empresa. Segundo João Maciel, no âmbito do projeto, os clientes obtiveram "uma poupança média de aproximadamente 300 euros anuais", ou seja, reduziram a sua fatura de eletricidade em "cerca de 25%".

"Estes mecanismos que aqui desenvolvemos permitem gerir, de um modo otimizado, o carregamento das baterias e dos termoacumuladores elétricos", gerando poupanças, realçou o responsável da EDP, empresa que lidera a fase de demonstração do projeto.

Ainda nesta componente residencial do "SENSIBLE", graças às novas ferramentas de gestão dos equipamentos fotovoltaicos, das baterias e dos termoacumuladores, os clientes ainda produziram e armazenaram energia além da que necessitam para os seus consumos diários, para que a EDP a pudesse agregar, remunerando os moradores, e disponibilizar a clientes que dela necessitassem. "Já existe fotovoltaica e armazenamento de energia", mas "a questão de fazermos a agregação dessa flexibilidade energética, criando um modelo de negócio que remunera todas as partes envolvidas, isso é que é inovador", frisou João Maciel.

Por outro lado, salientou, o projeto permitiu aos promotores validarem tecnicamente este conjunto de ferramentas que permite "gerir o armazenamento de energia por baterias, nas redes de baixa e média tensão", para que possa ser utilizado no futuro, quando esta tecnologia tiver regulação e os custos forem mais reduzidos. O "SENSIBLE", que tem estatuto de "Flagship Project" ("projeto bandeira") na área de Inovação em Energia, atribuído pela Comissão Europeia, envolve, em Portugal, além da EDP, a Siemens e o INESC TEC, entre outros parceiros.

IN: Expresso (2 julho 2018)

FreshJoomlaTemplates.com
Friday the 16th. TESTE