Destaques

Consumo de energia em Portugal caiu 11,2% numa década

Em comparação com os restantes países da União Europeia, Portugal ficou acima da média, no período entre 2006 e 2016. No entanto, a maioria dos países continua abaixo da meta de redução de 20% do consumo de energia até 2020.

O consumo doméstico bruto de energia na União Europeia caiu 10,8% nos 10 anos entre 2006 e 2016, um valor que continua abaixo da meta de eficiência energética, que aponta para uma redução de 20% até 2020. Entre os países da UE, Portugal diminuiu o consumo energético em 11,2%, acima da média, mas longe da Grécia, Malta e Roménia, os únicos países que ultrapassaram a barreira dos 20%.

A UE assumiu o compromisso de limitar o consumo energético primário a 1.483 milhões de toneladas de equivalentes a petróleo (Mtoe), mas o gasto foi ainda de 1.641 Mtoe, em 2016, de acordo com dados divulgados esta segunda-feira pelo Eurostat.

“Em 2016, o consumo de energia primária na UE ficou a 4% do objetivo de eficiência. Desde 1990, o primeiro ano em há dados disponíveis, o consumo diminuiu 1,7%. No entanto, ao longo dos anos, a distância da meta de consumo de energia primária flutuou bastante. A maior divergência da meta aconteceu em 2006 (16,2%, com um nível de consumo de 1.723 Mtoe), enquanto o mínimo recorde foi alcançado em 2014 (1,7%, 1.509 Mtep). Ao longo dos últimos dois anos, a diferença aumentou novamente, para 4% acima do objetivo de 2020, o que equivale a um consumo de 1.543 Mtep em 2016”, explica o relatório do Eurostat.

Entre os vários países, apenas dois Estados-membros aumentaram o consumo de energia entre 2006 e 2016 (Estónia 13,4% e Polónia 6,2%), enquanto na década anterior todos os 19 Estados-membros tinham aumentado o consumo. Entre os 26 países em que o consumo caiu nos 10 anos terminados em 2016, Grécia (23,6%), Malta (22,5%) e Roménia (20,2%) lideraram as reduções.

IN: Jornal Económico (5 fevereiro 2018)

FreshJoomlaTemplates.com
Sunday the 21st. TESTE