Destaques

Comissário europeu da Energia: "Não há justificação para Portugal estar isolado energicamente da Europa"

Bruxelas reconhece que ainda é preciso fazer muito para que a energia renovável portuguesa chegue aos lares de milhões de europeus.

Portugal e Espanha estão praticamente isolados energicamente dos restantes países da União Europeia. A Comissão Europeia defende que é preciso mudar este panorama, mas reconhece que ainda há um longo caminho a percorrer para que a energia renovável produzida em Portugal chegue a outros países europeus.

"Não há justificação para que a Península Ibérica esteja isolada da Europa. Portugal e Espanha continuam na periferia, o que afecta a sua competitividade. Estes são dois países que podem competir na Europa, que podem ser lideres na produção de renováveis", disse o comissário europeu de energia, Miguel Arias Cañete, esta segunda-feira, 9 de Outubro, em Lisboa.

O responsável comunitário destacou durante a conferência "os desafios do mercado ibérico de energia" que a capacidade de interligação entre Portugal e Espanha já se encontra actualmente nos 10%, mas que entre Espanha e França encontra-se somente nos 5%.

Miguel Arias Cañete recordou o discurso recente do presidente francês, onde Emmanuel Macron defendeu a necessidade trabalhar para aumentar as interligações entre a Península Ibérica e França e a restante União Europeia.

"É preciso favorecer as interligações de uma vez por todas. Durante muito tempo travámos as interligações porque não estava no centro dos nossos interesses. Temos agora a necessidade de, juntamente com Espanha e Portugal, desenvolver estas interligações. Porque quando as renováveis destes países produzirem de forma massiva, podemos desfrutar delas em toda a Europa. Noutros momentos em que a energia nuclear [francesa] seja necessária podemos também a mutualizar", afirmou o comissário, citando o presidente francês.

Por sua parte, o Governo espanhol garantiu que Madrid está empenhado no aumento das interligações entre a Península Ibérica e França e que também existem bons sinais neste sentido da parte do Governo francês, depois de anos a travar o processo.

"Tem havido mudanças significativas na administração francesa", reconheceu o secretário de Estado de Energia de Espanha, Daniel Navia, durante a conferência organizada pela Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola.

O responsável apontou que o Governo francês lançou recentemente a consulta pública sobre a construção da interligação Golfo de Biscaia que vai permitir aumentar a interligação eléctrica entre Espanha e França.

IN: Negócios Online (9 outubro 2017)

FreshJoomlaTemplates.com
Monday the 23rd. TESTE